Simpósio Brasileiro de Educação em Computação

Trilha 4 - Critérios de Revisão dos Recursos e Ambientes Educacionais


O processo de revisão dos artigos do EduComp inova ao solicitar feedback específico, tanto quantitativo como qualitativo, para diferentes critérios atendidos ou não pelos artigos. Em termos quantitativos, os revisores devem pontuar cada artigo de acordo com os critérios descritos a seguir (em uma escala de 1 a 4). Além disso, para os itens de 2 a 8, deverão oferecer feedback qualitativo que justifique a nota dada na escala. O objetivo do feedback qualitativo explícito por item é melhorar a qualidade das revisões a partir da avaliação específica de critérios válidos para o tipo de artigo em avaliação, oferecendo feedback construtivo e evitando confusão entre diferentes tipos de contribuição (e.g., um artigo de pesquisa deve ser avaliado de forma diferente de um relato de experiência ou de um artigo sobre recurso educacional).


  1. Aderência: trata-se de um artigo sobre recursos didáticos ou sobre ambientes ou plataformas para educação em computação.
  2. Contribuição: o recurso, ambiente ou plataforma tem potencial de impacto na educação em computação.
  3. Apresentação do artefato: a descrição do recurso, ambiente ou plataforma contempla motivação, objetivos, conteúdos, principais componentes e telas, e cenários de uso.
  4. Artefatos similares: o trabalho é comparado com artefatos similares.
  5. Fundamentos teóricos e/ou pedagógicos: o artigo baseia-se em teoria(s) quando apropriado.
  6. Replicabilidade: a partir das informações do artigo, o artefato pode ser usado por terceiros em contextos educacionais.
  7. Qualidade textual: o texto do artigo é escrito adequadamente, considerando estruturação, clareza, coerência, coesão, ortografia, gramática e formatação, em conformidade com o modelo do EduComp.
  8. Recomendação: com base nos critérios acima, o artigo deve ser publicado no EduComp.
  9. Familiaridade do(a) avaliador(a) com o tema do artigo: os revisores descrevem o nível de conhecimento que têm sobre o tema abordado pelo artigo.

Diretrizes para Recursos e Ambientes Educacionais


Os artigos sobre recursos didáticos ou sobre ambientes ou plataformas devem descrever cuidadosamente um recurso ou ambiente educacional e seu contexto, e fornecer uma rica reflexão sobre a sua aplicação. Todos os artigos nesta trilha devem fornecer detalhes suficientes para que outros possam adotar a inovação descrita no artigo.

Para um artigo nesta trilha, eis alguns fatores-chave a serem trazidos pelos autores e avaliados pelos revisores:


  1. O artefato apresentado é de interesse para o público do EduComp? Deve ficar claro como o artefato pode ser usado em processos de ensino e aprendizagem em Computação, com informações sobre como adotar ou adaptar o artefato em outros contextos ou instituições.
  2. O artefato é fundamentado em teorias de aprendizagem? Deve-se explicar os fundamentos pedagógicos que orientam as decisões de design, interação e apresentação dos conteúdos.
  3. O artefato é apresentado em detalhes que ilustrem seu uso e sua aplicação educacional? Devem ser incluídos: objetivo, motivação, funcionalidades ilustradas por telas, contexto de uso, público-alvo, tecnologias utilizadas, licença.
  4. Artefatos similares:
    1. São citados artefatos similares (protótipos ou produtos prontos) que tenham objetivos similares e/ou abordem temas similares? Caso contrário, uma boa revisão deve indicar artefatos similares não mencionados. Simplesmente dizer “A seção de trabalhos relacionados está incompleta” não é suficiente.
    2. Os autores descrevem claramente a relação entre os artefatos similares e o artefato apresentado? Deve-se descrever de que forma o artefato apresentado se baseia em trabalhos prévios e de que maneira ele é diferente, ou seja, traz uma nova contribuição.
  5. As observações e/ou descobertas relacionadas ao uso do artefato estão claramente apresentadas? Essas descobertas devem ser discutidas, incluindo:
    1. Relação / comparação com trabalhos prévios;
    2. Implicações dos resultados para uso futuro;
    3. Implicações dos resultados para o ensino e aprendizagem;
    4. Limitações do artefato.